terça-feira, 7 de junho de 2016

Placa Luminosa


O Placa Luminosa é um conjunto musical brasileiro formado em 1977 no estado de São Paulo. O grupo se tornou conhecido em 1985 quando participou do Festival dos Festivais com a canção Mira Ira (Nação Mel), que ficou em 2º lugar e ainda conquistou o prêmio de melhor arranjo, construído na época pelo arranjador Mário Lúcio Marques.


Ney cantou a canção América do Sul, com uma letra contestadora quando o Brasil começava a sua transição democrática, e os integrantes do Placa Luminosa o acompanharam vestidos com calça amarela e o peito descoberto. A performance foi assistida por aproximadamente 140 mil pessoas presentes na abertura do Rock in Rio.


No mesmo ano, o Placa Luminosa ficou conhecido nacionalmente ao se destacar no Festival dos Festivais, evento comemorativo dos 20 anos da Rede Globo. A banda ficou em segundo lugar com a música Mira Ira e concorreu na final com nomes como Oswaldo Montenegro, Leila Pinheiro, Emílio Santiago, Língua de Trapo e Tetê Espínola.


Três anos depois começaram os sucessos. Um deles foi Mais uma vez, uma versão de Rosana Hermam para Just to see her, de Smokey Robinson. A canção, típica para embalar os corações românticos, começa com "Telefono / te procuro / mil loucuras pra pode te ver / mais uma vez...". A lista também inclui Ego e Não diga nada. 

O embrião do Placa Luminosa foi originado em Brasília. Jessé, Ari, Ribah, Luizão e Mário Lúcio resolveram se unir e formaram em 1975 o conjunto Corrente de Força. "Cada um tocava em uma banda, tínhamos uma média de 22 anos de idade, um curtia o som do outro e rolou o encontro", diz Ari. 


Segundo Ari, o movimento musical em Brasília era muito efervescente. "A qualidade musical das bandas de lá era muito boa. Eu não sei o motivo, mas não deixa de ser interessante. Brasília é uma mistura de gente do país inteiro e ali tem várias vertentes nordestinas, paulistas, cariocas. Então, essa mistura dá uma salada muito boa", conta. 

O surgimento do Placa Luminosa ocorreu anos antes do aparecimento do Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, Plebe Rude e Capital Inicial. "Quando essa turma surgiu, a gente já estava maduro para os caras", comenta Ari. 


Nesse início de carreira, o Placa Luminosa embalou muitos bailes em São Paulo. De tanto fazer show na noite paulistana, a banda conseguiu fãs e respeito do público. "A primeira projeção nacional foi no Festival dos Festivais, mas aqui em São Paulo sempre fomos muito conhecidos. Fazíamos um repertório alternativo e tocávamos Pink Floyd e Yes, o que não era muito comum na época", relata Ari. "Tanto que um amigo nosso nos dizia para ouvirmos Milton Nascimento e a gente respondia para ele escutar Led Zeppelin", completa.

Discografia
1977 – Velho Demais
1978 – Chuvas e Trovoadas
1979 – Riacho da Lagoa
1981 – Neon
1988 – Placa Luminosa
1989 – Parece Real
1991 – Romance
1997 – Ponto de Partida
2007 – Beleza que se Espalha


Participações
Jessé, fundador do grupo
Jorge Ben Jor, Músicas para Tocar em Elevador (1997)
Ney Matogrosso, Destino de Aventureiro (1985)
César Camargo Mariano, A todas as amizades (1983)
Tim Maia, vários shows (1982)
Cláudio Tranjan, teclados
Alex Oliver, teclados
José Lobão , Lobão banda Blow Up, Back Vocals



"O nosso amor é lindo! / Tão lindo!/Nada pode ser mais lindo/
Do que o nosso amor...
"

Se você tem mais de 30 anos com certeza vai lembrar de “Fica comigo”, tema musical de Olívia (Gabriela Duarte) e Arthur (Jonas Torres), na novela “Top Model” (1989-1990), que virou hit no "Xou da Xuxa" e foi responsável pelo sucesso da banda Placa Luminosa, que existe desde 1977.

“Nós trabalhamos com diversos artistas, como Cesar Camargo Mariano, Erasmo Carlos e Tim Maia, e até abrimos a primeira versão do Rock in Rio, com Ney Matogrosso, em 1985. Mas foi depois do tema da novela que veio o ponto alto da carreira”, disse Willian Santana, vocalista do grupo.

Passado o frisson dos anos 80, o grupo, composto por Luizão, Ari Nascimento, Ribah Nascimento e Willian Santana, seguiu pela estrada com shows em diversas cidades do interior. “Quando o auge passa, você tem menos espaço na mídia. Mas continuamos sendo reconhecidos pelo público do interior, por ter uma história na música e profissionais excelentes”, afirmou o vocalista.
Placa Luminosa nos anos 80

A banda nunca chegou a se separar, mas Willian ficou um tempo fora para realizar outros projetos. “Saí em 1994 para trabalhar com Fábio Jr. e colocaram outro integrante no meu lugar. Eu era backing vocal e ajudava em composições”, contou.

Seis anos depois, ele voltou a integrar o grupo e juntos começaram a planejar o DVD de 30 anos, gravado no teatro do Clube Pinheiros, em São Paulo, e lançado em 2007. “Fizemos um trabalho com músicas mais balançadas e menos românticas, mas os hits que fizeram sucesso nas novelas não puderam ficar de fora”, disse.

O grupo já se apresentou no Bar Brahma, em São Paulo, e teve até temporada estendida na casa. “Era para ficarmos um mês, mas já faz dois meses que estamos tocando lá. As pessoas são muito receptivas, pois guardam com muito carinho as músicas das novelas. O público paparica a gente”, falou Willian. “No show, tocamos músicas nossas, mas também dos artistas nos quais nos inspiramos, como Stevie Wonder, Lulu Santos e Tim Maia.”


Em 1977, Placa Luminosa gravou o primeiro disco, cuja faixa "Velho demais" foi tema da novela global, "Sem lenço e sem documento".

Mesmo com a boa execução no rádio e um relativo sucesso, o Placa continuou na estrada fazendo, basicamente, bailes pelos clubes do país inteiro. Aliás, bom que se diga, os clubes das cidades do interior, principalmente, era um ótimo espaço de trabalho para o músico brasileiro, coisa que, recentemente, tem-se a impressão, vem ressurgindo, só que, agora, nos bares das médias e grandes cidades do Brasil.

O ano de 1981 é especial na história do PLACA. Raul de Souza considerado, então, o 3º melhor trombonista do mundo, segundo a revista Downbeat, acaba de chegar de Los Angeles à procura de uma banda que pudesse tocar com ele, nas apresentações que faria em São Paulo, bem como na gravação de especiais para as TVs Cultura e Bandeirantes. Foi um golaço!

Tendo em vista que nas terras tupiniquins, para os segmentos tidos como formadores de opinião, tocar em bailes era uma atividade menor, porque, supostamente o músico de baile não seria criativo e, ou capaz de realizar trabalhos musicais dignos de respeito. Tocar com RAUL DE SOUZA foi um up grade. Era como se só agora, depois do "vestibular", a banda tivesse conseguido, finalmente, o passaporte para o time dos músicos propriamente ditos.


Ainda em 1981, gravam o LP "Néon", disco onde já começa a ser desenhado o estilo MPB-POP-SOUL que, hoje, no novo CD "Beleza que se espalha" pode-se afirmar, bastante definido. Um som de MPB meio jazzy, meio bossa nova, meio soul e meio pop, estética essa (pop) que foi, sem dúvida, bastante mais acentuada na fase de grande sucesso, da década de 80.

Logo após a gravação de "Neon", com o nome já consagrado no meio musical, surgem várias oportunidades de trabalho, agora com nomes de expressão no cenário musical nacional. Aí vieram, Erasmo Carlos, Tim Maia, Cezar Camargo Mariano, com quem fizeram o show "A todas amizades" com enorme sucesso de público e crítica alem do especial "À Cezar" que foi realizado por Solano Ribeiro (aquele dos festivais da Record) na TV Manchete. Outro golaço!


Foi o próprio Cézar Camargo Mariano quem se encarregou de recomendar a PLACA para Ney Matogrosso, que estava atrás de uma banda para o show "Destino de aventureiro". Dessa vez não foi só um golaço. Foi uma goleada. Não é à toa que, o próprio Ney acha, até hoje, que esse foi o melhor show da sua belíssima carreira. É isso aí, o Placa estava nessa, e não era tudo. Juntos em janeiro de 1985 abririam o primeiro Rock in Rio.


A estrada e a luta continuavam. Sempre fazendo shows, bailes e muitas, muitas "demos". Chega o ano de 1997. Com a versão de "Just to see her", de Smokey Robinson feita por Rosana Herman, na mão, foram para o estúdio Transamérica. A canção foi gravada. Dias depois uma fita com a versão, "Mais uma vez" começou a tocar na Jovem Pan e depois na rádio Cidade e depois na Band etc ,etc. O resto é história.


Nos dois anos que se seguiram vieram os sucessos "Fica comigo" (novela Top Model-Globo) e "Ego" (novela Mico preto - Globo). Ambas as canções foram primeiro lugar nas paradas de sucesso em todo o Brasil.
Somente após 12 anos de ralação o Placa Luminosa seria, finalmente, uma banda reconhecida nacionalmente, como é até hoje. Um grande sucesso que está de volta ainda melhor.

Placa Luminosa - Beleza que se espalha (2006)

Faixas:
01 - Mapa da mina
02 - Não vou ficar
03 - Teu olhar
04 - Beleza que se espalha
05 - Seu guardião
06 - Sempre me engano
07 - Novo rumo
08 - Palavras de apaixonado
09 - Meu coração é tua casa
10 - Fim de semana
11 - Não há dinheiro que pague
12 - Sem graça
13 - Com dinheiro é mole (Quero ver duro)
BONUS TRACKS:
14 - Fica comigo
15 - Mais uma vez (Just to see her)
16 - Faz de conta


Nenhum comentário: