quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Mário Manga


O projeto Música Meu Humor, traz para o palco do Auditório do Sesc Vila Mariana, nesta sexta (25/02), a partir das 20h30, o cantor e compositor Mário Manga, fundador do grupo Premeditando o Breque, um dos mais bem humorados da MPopB, oriundo da chamada Vanguarda Paulistana, na primeira metade dos anos 80.

O projeto tem o objetivo de apresentar "músicos-humoristas" que utilizam o ritmo e a melodia a serviço do bom humor. Integrante dos grupos Premê e Música Ligeira, Mário Manga sai do estúdio, onde, como ele mesmo diz, trabalha regularmente como "compositor funcional" em produções de CDs e trilhas, para o palco.

Não que Manga tenha ficado muito tempo longe dele, pois também assina direções musicais, como do Festival de Música Popular Brasileira da TV Cultura, em 2005. Mas agora ele promete dar mais atenção para sua vida de compositor (é formado em Composição pela USP) e intérprete - a começar por este show.



Inéditas

Canções antigas e hilariantes, como: Rubens, Beleza Interior, A Saga de Abud Salim, Padaria e o sucesso São Paulo São Paulo se misturam a músicas inéditas. "Tão inéditas que só serão finalizadas para o espetáculo", brinca Manga. Ele terá a companhia no palco de Marcio Arantes na guitarra, baixo, violoncelo, violão e samplers.


(Projeto Pais e Filhos - Sesc Pompéia - Mário Manga & Mariana Aydar e Wandi Doratiotto & Danilo Morais - Data: 02/06/2007 - Música: Brigando na Lua - Premê)




Premê (ex-Premeditando o Breque)

Premê (ex-Premeditando o Breque) é um grupo musical paulistano criado em 1976, por estudantes da USP. Premeditando o Breque, um grupo de samba que Manga montou com colegas de faculdade e com Wandy Doratiotto, o baixinho moreno da Brastemp.

O grupo começou a fazer sucesso e integrou o movimento cultural mais importante na década de oitenta em São Paulo, a meio sisuda Vanguarda Paulistana, que tinha lá sua porção de música ligeira. Quem se lembra de 'São Paulo, São Paulo'? E da Kombi comprada de um japonês que ia sozinha ao Ceasa? E das duas piscinas na Avenida São João, uma pura, a outra com limão?

O grupo destacou-se desde o início tanto pelas letras irreverentes e bem-humoradas quanto pela qualidade musical, baseada em arranjos sofisticados, fundindo MPB, chorinho, rock e até mesmo música erudita.

Já em 1979, o samba-de-breque Brigando na Lua era premiado com o segundo lugar no 1º Festival Universitário de Música Popular Brasileira. No ano seguinte, o grupo começaria a se celebrizar em apresentações no Teatro Lira Paulistana - um reduto da música independente paulista de então -, ao lado de nomes igualmente emergentes da cena musical paulista como Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção e Grupo Rumo.

Em 1981, o grupo lançou seu primeiro disco "Premeditando o Breque", conseguindo notoriedade no meio universitário e intelectual.

E logo em seguida, em 1982, a banda chegou à etapa final do festival MPB Shell, promovido pela Rede Globo. A música apresentada no Maracanãzinho lotado foi: O Destino assim o Quis ou simplesmente "Lencinho", como ficou conhecida.



O maior sucesso do repertório, contudo, viria em 1984, no LP "Quase Lindo". Trata-se da canção São Paulo, São Paulo, uma divertida referência a New York, New York, mas adaptada à capital paulista.



A música foi sucesso nas rádios, sobretudo em São Paulo, e levou o grupo a se apresentar em diversos programas de televisão.

Outra música que ficou conhecida do grupo foi Lua de Mel em Cubatão, numa época em que Cubatão era considerada uma das mais poluídas cidades do mundo.

O grupo despertou o interesse de uma multinacional, a EMI, e a partir de lançou, em 1985 e 1986, dois LPs produzidos por Lulu Santos.

Os discos não tiveram o mesmo sucesso dos anteriores, segundo alguns críticos, justamente pelo fato de terem na produção um carioca, a serviço de uma grande gravadora - dois fatores supostamente contraditórios com a proposta da banda.

Entre 1987 e 1991, o grupo cessou suas atividades, retomadas com o LP de 1991 "Alegria dos Homens" e, em 1996, com "Premê ao Vivo", agora em nova formação, que persiste até os dias de hoje.

Em 2000, um novo show, batizado de "Brasil 500 anos", reavivou a atenção do público pelo grupo.

Atualmente, o Premê continua na ativa, mas com shows esporádicos, quase sempre em São Paulo.

Curiosidades

*Vanguarda Paulista - O Grupo faz parte do movimento Vanguarda Paulista, que com a faccao zona norte dos Pracianos, representou a resposta desses artistas ao monopolio das gravadoras sobre o lancamento de novos talentos. Abriam seus proprios selos e lancavam seus trabalhos de forma independente. Dari Luzio, Pedro Lua, Paulo Barroso, Le Dantas & Cordeiro, Carl Guerreiro, formam o nucleo Pracianos.

*O vocalista e violonista Wandi Doratiotto é o apresentador do programa Bem Brasil, da TV Cultura. Também atua em diversos comerciais e na peça de teatro "Não mexe com quem tá quietinho". O guitarrista e vocalista Mario Manga é pai da cantora de MPB Mariana Aydar, destaque da música paulista recente.

*Mesmo sem lançar disco há 11 anos, o grupo mantém uma legião de fãs e influencia bandas mais novas, como o grupo musical Tubaína, que se apresenta na noite paulistana incluindo no repertório versões de canções do Premê em estilo rock.

*Numa votação popular realizada em São Paulo no ano de 2003 para eleger a música-símbolo da cidade, a cação São Paulo, São Paulo ficou em 2º lugar, atrás de Trem das Onze, de Adoniran Barbosa.

*A canção Rubens foi regravada por Cássia Eller em seu primeiro disco, em 1990.

*A canção Carrão de Gás foi regravada pela banda Tubaína em seu CD "Polka Vergonha", de 2000.

*Um dos maiores sucessos do Premê, a música Pinga com Limão, é na verdade uma antiga canção da dupla caipira Alvarenga e Ranchinho.

*O Osvaldo Luis toca teclado no Ultrage a Rigor



Discografia
PREMEDITANDO O BREQUE (1981)
QUASE LINDO (1983)
O MELHOR DOS IGUAIS (1985)
GRANDE COISA (1986)
ALEGRIA DOS HOMENS (1991)
VIVO (1996)

Integrantes
A banda é formada por:

Wandi Doratiotto - voz, cavaquinho e violão
Mário Manga - voz, guitarra e violão
Claus Petersen - voz, sax e flauta
Marcelo Galbetti - voz, piano, violão

Participantes eventuais:

Danilo Moraes - voz, violão e baixo
Adriano Busko - percussão


(Composta por Marcelo Madeira com letra de Gabriela Rossi a música Menina d'água é a faixa título do novo CD de Gabi Rossi. O video clip é dirigido e produzido pela Flávia Mesberg. O produtor musical foi o paulistano Mário Manga, músico veterano com 25 anos à frente de bandas como o Premeditando o Breque (Premê), Música Ligeira e Borrachinha. Menina d'água já tem carreira internacional na versão gravada pela banda Tupinikings em 1999. A música faz parte de uma coletânea nos EUA e em 2 filmes em Hollywood, "Uma receita para a máfia" com Danny Aiello produzido pela HBO e "Deixe-me viver" produzido pela Warner Bros com Michele Pfeiffer. - Menina d'água (G.Rossi/Madeira)


(Temas incidentais da série Ilha Rá-Tim-Bum (TV Cultura), com composições e arranjos de Mário Manga.)
FONTE

Wikipédia
noticiasyahoo

Nenhum comentário: