terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

ZéDi


Consagrado cantor e compositor paulista, nascido em Mogi Mirim, descoberto por Luís Vieira e atualmente radicado no Rio de Janeiro, ZéDi foi campeão pela Escola de Samba Vai Vai do Bexiga (SP), com “Independência ou Morte” e “Passeando pelo Brasil” e pelo Salgueiro (RJ) com “Rei da França na Ilha da Assombração”.

Independência ou morte (samba-enredo, 1971) - ZéDi

Valeu o sacrifício dos Andradas
E as preces da princesa Leopoldina
A morte de Tiradentes não foi em vão
São hoje símbolos vivos da nossa nação

A maçonaria muito contribuiu
Na surdina do nome conseguiu
E o príncipe regente se fez imperador
Num gesto de coragem e de amor

Independência ou Morte
Dom Pedro primeiro bradou
E o sonho dos brasileiros se concretizou

Oh, meu Brasil segue avante
Olha o futuro que lhe espera
Ninguém segura esse gigante
Raiou-se o sol de primavera

ZéDi (José Dias, paulista de Mogi Mirim), um veterano compositor, desde os 15 anos vem participando de programas de calouros e à partir de 1963 começou a mostrar suas primeiras composições, conseguindo a primeira gravação em 1960, com "Boca de Caçapa".

Ele apareceu no cenário musical em 1963 com a música "Mil desejos", classificada em segundo lugar no "Festival de Música Infantil", da TV Excelsior. Compôs com Luiz Vieira "Caminhos do Amor" e "Escola da Vida". Em 1965, Hebe Camargo gravou, de sua autoria em parceria com Luiz Vieira, "Escola da vida".

Eclético e buscando seu lugar ao sol foi vencedor dos festivais 1º Festival da Música Sertaneja (66) com “Catira”, da TV Paulista; e do Festival da Agroceres (88) com “Intuição”; 2º lugar do Festival da Música Infantil (67) com “Sonho de Menino”, entre outros prêmios.

Em 1971, finalmente, surgiu sua chance de se lançar com interprete, gravando na Tapecar um compacto simples com "Independência ou Morte", samba-enredo que fêz para a Escola de Sama Vai Vai do Bexiga, de São Paulo. No ano seguinte, a escola voltou a desfilar com outro samba seu, "Passeando pelo Brasil". Neste mesmo ano, apresentou-se com Grande Otelo no Hotel Hilton, em São Paulo.

Em 1974, lançou o LP "'Zédi... samba", pela gravadora Tapecar, no qual interpretou "Independência ou morte", "Ontem" (c/ Astrogildo Silva), "Salgueiro chorão" e "Rei de França na Ilha da Assombração" (c/ Luiz Malandro), ganhadora do carnaval de 1974, com a qual o Salgueiro foi campeão naquele ano.

Em 1976 gravou pela Tapecar o LP "Meu recado", no qual interpretou "Alegria" (Norival Reis e Vicente Mattos), "No pé de cajarana" (Venâncio e Corumba), "Luar" (Naval), "Corcoviei" (Luiz Grande) e outras composições de sua autoria: "Nega bonita", "Meu recado", "Não me atire a pedra", "Saudade" e "Não dou meu sim", esta última em parceria com João Rodrigues.

Em 1978 apresentou com Nelson Cavaquinho o show "Brasileiríssimo". No ano seguinte, em parceria com Luiz Vieira, fez show no Copacabana Palace.

Em 1980, a Acadêmicos do Salgueiro desfilou com o samba-enredo de sua autoria "O bailar dos ventos, relampejou mas não choveu" (c/ Zuzuca do Salgueiro, Moacir Cimento e Haideé), classificando-se em 3º lugar.

Seu samba-enredo "No reino do faz-de-conta" classificou a Acadêmicos do Salgueiro em 8º lugar no ano de 1982.

Em 1986, ainda pela gravadora Tapecar, lançou o disco "Muito obrigado".

Em 2000, participou, ao lado de Jorginho do Império, Baianinho e Comprido, do show na casa Rio Sampa. Ainda nesse ano, juntamente com Darcy da Mangueira, Baianinho, Jorge Aragão e Noca da Portela, participou da festa de encerramento do século e do milênio na praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Em 2002, lançou o CD "Zedi" pelo selo Funjor (Fundação José Ricardo) do Rio de Janeiro. Neste disco, compilou seu LP "Meu recado" e incluiu de sua autoria quatro faixas-bônus: "Independência ou morte", "Obrigado Nossa Senhora", "Benção mãe" (c/ Pinheiro) e "Último verão". O disco foi lançado na "Feira da Providência" em dezembro deste mesmo ano.

Em 2010, Zé Di lançou o CD "Encontros - Zédi & Karinna Duque Estrada", disco no qual a dupla interpretou "Triste fado meu" (Zédi); "Canário da Mangueira" (Zédi); "Obrigado Nossa Senhora" (Zédi e Paulo Maurício); "Nazaret" (Silvinho Santos e Esequias de Castro); "Último verão" (Zédi); "Ontem" (Zédi e Astrogildo Silva); "Por que será?" (Zédi); "Salgueiro chorão" (Zédi); "Bênção mãe" (Zédi); "Explosão de alegria" (Zédi); "Meu recado" (Zédi); "Não me atire pedra" (Zédi); "Intuição" (Zédi e Ademar Pinheiro); "Independência ou morte" (Zédi) e "Rei da França na Ilha da Assombração", de Zédi e Luiz Malandro.

Entre seus principais parceiros estão Luiz Vieira, Moacyr Franco, Dora Lopes, Zuzuca do Salgueiro, Capitão Furtado, Tereza Tinoco e Geraldo Babão.

Uma de suas composições mais conhecidas é "Chamego de crioula", gravada por Elza Soares.


Show na sala Baden Powell - Zédi & Karinna Duque Estrada

Seus principais sucessos foram: Samba Sem Viola; Perdoe meu amor; Salgueiro Chorão; Últmo Verão; Meu Recado; Cachorros do Nicolau; Caminhos do Amor; entre outras. Atualmente está em fase final de produção de seu novo CD intitulado “Samba, Conexão Rio-São Paulo”, assinado pelo radialista Adelson Alves.

Gravou com vários cantores como: Jair Rodrigues (mais de 10 canções), Wanderley Cardoso, Cauby Peixoto, Noite Ilustrada, Luiz Vieira, Bienvenido Granada, Alaíde Costa, Djalma Pires, Emilinha Borba, Marlene, Leila Silva, Rinaldo Calheiros, Waldick Soriano, José Augusto, Carmem Silva, Poly, Orquestra Sílvio Mazurca, Elza Soares, Sérgio Reis...


Alguns interpretes - Hebe Camargo, Moacyr Franco, Jair Rodrigues e Noite Ilustrada, gravaram seus sambas, mas nenhum "aconteceu". Nem mesmo o seu "Samba sem Viola", em parceria com Dora Lopes.

Acompanhado pelo Chapéu de Palha, respeitado e alegre grupo de “samba-choro” carioca, apresenta seus grandes sucessos e outros sambas excepcionais, como: Graoa Danada, Meia Cuié, Ontem, Perdoe Meu Amor, Samba Sem Viola, Benção Mãe, Não Atire Pedra, Catira, Intuição, Salgueiro Chorão, Rei de França, Meu Recado, Heróis da Liberdade, Independência ou Morte e Último Verão.


Acompanhada pelo Cantor/Compositor e ZéDi, Leide Warthon (Filha de Gordurinha) interpreta SÚPLICA CEARENSE, em roda de amigos. (outubro/2010)

FONTE

Um comentário:

Aline Rezende disse...

ZEDI,tem musicas maravilhosas que deven ser colocadas no mercado...Que me desculpe LADY GAGA.....e outros musicos que so fazem lixo.....Musicas de qualidade hoje em dia sao raridades,as geracoes de hoje nao sabem o que uma boa musica...