sexta-feira, 25 de março de 2011

Creusa Cunha


Creusa Cunha (Itabaiana/PB, 10/10/1934 - 06/12/1993 em Recife/PE) Creusa Cunha, paraibana de voz forte já havia gravado um LP de 10 polegadas pela Mocambo quando foi para São Paulo onde foi (re)descoberta, tornando-se revelação no começo dos anos 60.


Gravando pela Copacabana, Creusa Cunha conseguiu relativo sucesso, porém, manteve uma carreira irregular sem muitos lançamentos – seu único LP nos anos sessenta foi "Minha Carta de Amor", (1963 - Copacabana), que traz 12 músicas com arranjos de Hector Lagna Fietta, transitando entre boleros, sambas-canções (abolerados) e versões (de boleros)...


Mudou-se para Recife aos 10 anos e aos 13 começou a cantar nas rádios locais. Foi uma das primeiras contratadas da Rádio Jornal do Comércio, já em sua inauguração em 1948.

Gravou alguns 78 rpm pela Rosemblit (selo Mocambo) e nos anos 50, gravou seu primeiro LP, também pela Rosemblit, um 10 polegadas, com oito faixas e arranjos de seu compadre Nelson Ferreira.


Veio para São Paulo em 1961, sendo contratada pela Copacabana Discos. Em 1962, recebeu o Troféu Roquette Pinto como a cantora Revelação, no mesmo ano ganhou os Troféus Chico Viola, Imprensa (anterior ao de Sílvio Santos) e muitos outros. Foram 27 em um ano. Chegou a ter três músicas entre as mais tocadas e vendidas neste ano.


Teve sua carreira marcada por problemas pessoais e em 1965, encerrou a carreira, tendo se apresentado pela última vez no Programa Sílvio Santos, na TV Paulista, onde foi homenageada como a "Mãe do Ano".


Gravou alguns discos pela Continental, CBS, entre outros e apresentou-se algumas vezes, como convidada, nos programas de Bolinha, Luiz Vieira e antes de voltar ao Nordeste, Chacrinha. Teve 7 filhos. Ela morava em Pernambuco desde 1972, em Olinda, onde chegou a ter um bar.


Destaque para a regravação de Bronzes e Cristais e para os boleros "Minha Carta de Amor", "Perdoar é Divino", “Lembrança” – esta última, também sucesso na voz de Dalva de Oliveira via Odeon.


Em 1993, a cantora Creusa Cunha faleceu com seu esposo em um acidente de automóvel, na cidade do Recife/PE.


CURIOSIDADES

A música Bar da Noite, sucesso da cantora Bidu Reis em 1957, em parceria com Haroldo Barbosa foi regravada por vários intérpretes, entre estes Creusa Cunha, pela Mocambo; e a cantora Nora Ney, que incorporou a música ao seu repertório permanente.


*O documentário "Renascimento do Passo", produzido por estudantes de jornalismo da Universidade Católica de Pernambuco (Yuri Queiroz, Alzira Acioly e Hellyda Sousa) apresenta dois vídeos de aproximadamente 20 minutos cada um. O primeiro - "O Milagre da Volta" - traz a história da cantora Creusa Cunha, expoente da Era de Ouro do rádio pernambucano. O segundo é o Renascimento do Passo, "onde é apresentada a vida e a obra do Mestre Nascimento do Passo. Os Guerreiros do Passo participaram das filmagens com depoimentos e imagens do projeto desenvolvido na Praça do Hipódromo. (aqui)


FONTE

Memória da MPB

4 comentários:

Toque Musical disse...

Moça, você por acaso tem este disco, ou as músicas em mp3 para me passar? toquelinkmusical@gmail.com

Beth disse...

Não, eu não tenho disco. =(

ELIZABETE MARIA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ELIZABETE MARIA disse...

Beth boa noite,sera que vc poderia me ajudar gostaria de saber mas sobre a historia de vida como quem são os filhos da cantora Creusa Cunha,ja tentei varias vezes achar pela internet mas não obtive exito,como achei seu blog que fala sobre ela e a carreira...
obrigada!!!