quarta-feira, 2 de março de 2011

Titulares do Ritmo


Grupo vocal e instrumental, cujos componentes eram todos cegos. O grupo era um sexteto formado por:
Francisco Nepomuceno de Oliveira, o Chico - Fortaleza, CE, 1927 - Líder, compositor, arranjador, violonista e pianista.
Geraldo Nepomuceno de Oliveira - Fortaleza/CE - 1931 - Cantor e violonista.
Domingos Ângelo de Carvalho - Moeda/MG - 1921 - Cantor.
João Cândido Brito - Bom Jesus do Galho, MG - 1928 - Cantor.
Joaquim Alves - Valença, BA - 1921 - Cantor
Sóter Cordeiro - São João Evangelista, MG - 1926 - São Paulo, SP - 1984 - Cantor.


SAMBA DO ARNESTO

O conjunto foi organizado em 1941, quando seus futuros componentes se conheceram no Instituto São Rafael em Belo Horizonte/MG, para cegos, onde cursavam o ginásio. Ficaram famosos pelas harmonizações e vocalizações requintadas que elaboravam. Fizeram sua estréia na Rádio Inconfidência, de Belo Horizonte, interpretando o samba de Pedro Caetano "Como se faz uma cuíca".


Em 1948, estrearam com sucesso na Rádio Gazeta de São Paulo. Logo depois, atuaram na Rádio Bandeirantes, também de São Paulo.


Em 1950, assinaram contrato com a gravadora Odeon e lançaram naquele ano o primeiro disco interpretando o bolero "Lianto de luna", de J. Gutierrez e Roberto Corte Real e o samba "Nega distinta taí", de Francisco Nepomuceno, o Chico, líder do grupo.



No mesmo ano, gravaram a marcha "Chiquita", de Chico e Baiano e o samba "Não põe a mão", de Mutt, Arnô Canegal e Buci Moreira, primeiro grande sucesso do grupo.



Em 1951, gravaram os baiões "Pacá parou", de Victor Simon e David Raw e "Pede pra seis", de Hanibal Cruz e Evaldo Rui e os sambas-canção "Falta você" e "Nunca", de Chico.



Em 1952, transferiram-se para a gravadora RCA Victor e lançaram a canção "Lejanias", de Hermínio Gimenez, com arranjo de Baiano e o samba "Zefinha", de Aristeu Queiroz.



Nesse ano, gravaram o samba "Porque não voltar?", de Sílvio Mazzucca, o bolero "Foste embora", de Geraldo Oliveira, a marcha "Bem ou mal", de Raguinho e José Sacomani e o fox "Por tua causa", de Wilkinson com versão de Ariovaldo Pires. Para o carnaval do ano seguinte, lançaram a marcha "Lulu", de Jorge Roy e Orlando Monello, com a qual fizeram razoável sucesso.



Gravaram em 1953 os sambas "E ela não vem", de Hervê Cordovil e Vicente Leporace, sucesso do conjunto, e "Mulher de artista", de Geraldo Tavares, os baiões "Que saudade, menina", de Castro Barbosa, outro sucesso do grupo, e "Romper da aurora", de Manezinho Araújo e Zé Renato; as toadas "Sodade matadera", de David Raw e Manezinho Araújo e "Sincera", de Chico. Ainda nesse ano, gravaram o fox-trot "Serenata ao luar", de Glenn Miller, com versão de Ariovaldo Pires, o Capitão Furtado.

Transferiram-se para a gravadora Copacabana em 1954 e no primeiro disco lançaram a toada "Canção do boiadeiro", de Maurício Morey e a toada-canção "Morena, morena", de Geraldo dos Santos.


Nesse mesmo ano, lançaram pela Columbia a marcha "Zig-zag", de José Roy, Wilson Sales e Vladimir Melo e o samba "Borboleta", de Conde e Henricão.



No ano seguinte, lançaram os sambas "Arrependi", de Júlio Rosemberg e Popé e "Neném", de Gomes Cardim, Victor Simon e Buci Moreira.



Em seguida, gravaram a canção "Feliz a caminhar", de F. W. Moller, a toada-baião "Rio A" e o samba "Samba", de Hervê Cordovil e a toada "Chuva morna", de Sereno.



Em 1956, gravaram para o carnaval a marcha "Os homens são uns diabos", de Maugéri Neto, Arlindo de Oliveira e Maugéri Sobrinho e o samba "Se ela não voltar", de Júlio Nagib.



Participaram do carnaval de 1957 com a "Marcha do café", de Milton de Oliveira e Fernando Sérgio e o samba "Não vou sofrer", de Raul Moreno, José Batista e João do Vale.



Gravaram dois fox em 1958, "Romance em preto e branco", de Lauro Muller e "Adeus, amor", de Nascimento e Júlio Nagib.



No mesmo ano, gravaram em função da conquista da Copa do Mundo de futebol pela seleção brasileira naquele ano na Suécia as marchas "Brasil! Brasil!", de Alceu Menezes e "A taça do mundo é nossa", de Mau, Dag e Lau, que se tornou um grande sucesso.



Ao longo da carreira, o grupo fez várias gravações voltadas para as festas natalinas como foram as gravações de "O tannebaum", de Ernst Anschultz e do fox "Sinos de Belém", com versão de Evaldo Rui gravados em 1959.



No mesmo ano, foram contratados pela gravadora Continental onde estrearam com o cururu "Ferreirinha na viola", tema folclórico com arranjos de Francisco Nepomuceno e o samba "Mané fogueteiro", de João de Barro.



Ainda em 1959, lançaram pelo selo Califórnia o rock-balada "Estúpido cupido", de H. Greenfield e N. Sedaka, com versão de Fred Jorge, sucesso dos primeiros anos o rock no Brasil e o maxixe "João Cachaça", de Vitor Dagô. No ano seguinte, pelo mesmo selo, gravaram as marchas-hino "Hino à São Paulo" e "Hino do estudante", de Júlio Revoredo.



Em 1961, o conjunto retornou para a RCA Victor e gravou os sambas "Chorou, chorou", de Luiz Antônio, "Banca de mamãe", de Chico e Baiano, "Baianinha", de Nelson Fernandes e "O aumento não vem", de Victor Simon.



Em 1962, gravaram o "Prelúdio pra ninar gente grande", de Luiz Vieira e "Os três sinos", fox de J. Villard com versão de Romeu Nunes. Chegaram a ter dois programas exclusivos na Rádio Tupi e na Rádio Record, em São Paulo.




Entre os LPs gravados pelos grupo destacam-se "Homenagem ao Bando da Lua", "Jóias musicais", "Concerto de música popular" e "Os fabulosos Titulares do Ritmo".



Trabalharam na área de jingles comerciais, tendo, inclusive, montado uma firma especializada para tal fim, a Pauta - Gravações e Propaganda.



SAUDADES DE MATÃO

Em 1968, gravaram o Hino do Clube Atlético Paranaense, clube de futebol do Paraná.


Ao longo da carreira, gravaram 38 discos em 78 rpm, pela Odeon, RCA Victor, Continental, Copacabana, Califórnia e Chantecler.


No final da década de 1990, no CD "A música de Tom Jobim" lançado pela Phonodisc, apareceram interpretando "Águas de março", de Antonio Carlos Jobim e "Estrada branca", de Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes.



Em 2000, o selo Movieplay lançou o CD "50 anos de sucesso em todos os ritmos", com as músicas "Boneca de pano", "Conte comigo mulher", "Despejo na favela", "De papo pro á", "Eu te amo meu Brasil", "Falsa madame", "Saudosa maloca" e outras.



EU TE AMO MEU BRASIL


SAUDOSA MALOCA

Em 2003, a gravação de "Estúpido cupido" feita pelo grupo foi relançada pelo selo Revivendo no CD "Nos tempos do rock 'and' roll".





FONTE
DICIONÁRIOMPB

2 comentários:

Rubia disse...

Olá, Beth. Vejo que há pouco tempo você postou um belo texto sobre a história dos Titulares do Ritmo, e hoje eu lhe escrevo para lhe dar a triste informação de que nesta tarde faleceu o Geraldo do Oliveira Nepomuceno. Bom, fui aluna próxima dele, conheço sua família e pra mim é muito difícil estar escrevendo isto agora, pois além de perdermos um excelente músico, perdemos também uma excelente pessoa.
Fica aqui minha notícia pra você e pra quem mais se interessa pela história desse conjunto.
Ass: Rubia A. Ramos.

Beth disse...

Oi Rúbia. Triste notícia realmente.
O Mestre Gaitista, Multi-Instrumentista Geraldo Nepomuceno de Oliveira, integrante do grupo vocal e instrumental, “Os Titulares do Ritmo” também um dos Fundadores, arranjador e imenso colaborador da antiga “Orquestra Paulista de Gaitas”, faleceu no dia 8 de Abril de 2011. E enterrado no cemitério do Araçá - Av. Dr. Arnaldo. Pacaembu - São Paulo.

[imagem]http://3.bp.blogspot.com/_o9i4ah0E1lA/R2suYOrFDZI/AAAAAAAAADE/2-Yg01xlV6Q/s400/geraldo_ed.jpg[/imagem]

Obrigada por informar.
Volte sempre ao blog.