Perfil

Minha foto
Brazil
"Acho que finalmente me dei conta que o que você faz com a sua vida é somente metade da equação. A outra metade, a metade mais importante na verdade, é com quem está quando está fazendo isso."

domingo, 13 de março de 2011

Marco Pereira


Foi em São Paulo, onde nasceu, que Marco Pereira fez seus estudos de violão sob a orientação do mestre uruguaio Isaias Sávio e no Conservatório Dramático e Musical. Mas foi na França, onde morou cinco anos, que defendeu tese sobre a música de Villa-Lobos, na Sorbonne, e recebeu o título de Mestre em Violão pela Université Musicale Internationale de Paris. Nesta cidade recebeu, também, uma forte influência jazzística e da música latino-americana.


Durante sua estada parisiense, excursionou por vários países europeus, Estados Unidos e Canadá, sendo premiado em dois importantes concursos internacionais na Espanha: Andrés Segóvia e Francisco Tárrega. De volta ao Brasil em 1990, gravou com vários artistas, entre eles, Paulinho da Viola, Tom Jobim, e Gilberto Gil. Atualmente Marco é professor adjunto na UFRJ.



BIO

Marco Pereira é um violonista, compositor e arranjador brasileiro.

Fez seus estudos de violão sob a orientação do mestre uruguaio Isaias Sávio e obteve os títulos de Mestre em Violão Clássico pela Université Musicale Internationale de Paris e Mestre em Musicologia na Universidade de Paris-Sorbonne com seu livro Heitor Villa-Lobos, sua obra para violão.



Criou na Universidade de Brasília os cursos de Violão Superior e Harmonia Funcional.

Marco Pereira  gravou dois discos pelo selo Som da Gente, de São Paulo (Violão Popular Brasileiro Contemporâneo - 1985 e Círculo das Cordas - 1987), trabalhos que o levaram ao Town Hall, de Nova York, em 1988.



A partir de 1990, já morando no Rio de Janeiro, Marco Pereira participou, em quatro oportunidades diferentes, do Free Jazz Festival: numa memorável apresentação do Trio D'Alma, em 1989; com seu trabalho solo, em 1991; ao lado de Wagner Tiso, em 1992 e ao lado de Edu Lobo, em 1996.

Gravou com importantes artistas do cenário musical brasileiro, tais como: Zélia Duncan, Edu Lobo, Cássia Eller, Gilberto Gil, Gal Costa, Wagner Tiso, Daniela Mercury, Zizi Possi, Rildo Hora, Paulinho da Viola, Tom Jobim, Milton Nascimento, Leila Pinheiro, Fátima Guedes, Nelson Gonçalves e Roberto Carlos, entre outros.

Marco Pereira recebeu o prêmio Sharp em dois anos consecutivos: Melhor Arranjador de MPB pelo disco Gal, da cantora Gal Costa - 1993 e Melhor Solista/Melhor Disco Instrumental do ano pelo trabalho Bons Encontros , em duo com o pianista Cristóvão Bastos - 1994.

Em 1995, lançou três CDs : Dança dos Quatro Ventos pelo selo belga GHA, Elegia pelo selo Channel Classics da Holanda e Brasil Musical pelo selo Tom Brasil de São Paulo.

Gravou em 1999 o elogiadíssimo CD de violão solo, Valsas Brasileiras, com um repertório primoroso de modernas valsas populares.

Seus outros CDs são: Luz das Cordas (com o bandolinista Hamilton de Holanda), Afinidade (com o gaitista Gabriel Grossi), Original (CD autoral com suas composições para violão solo – GSP (Guitar Solo Publications – San Francisco, CA – USA), O samba da minha terra (com composições próprias e novas leituras de clássicos da música brasileira), Stella del Matino (EGEA – Perugia –Itália) e Essence (Kind of Blue – Lugano - Suiça).



Marco Pereira  foi diretor artístico da série Grandes Encontros, um importante projeto de valorização do músico brasileiro que aconteceu no Teatro Leblon - Rio de Janeiro entre os anos de 2001 e 2004. Mantem intensa atividade como solista, tanto nos Estados Unidos quanto na Europa, onde se apresenta regularmente.

É professor adjunto no Departamento de Composição da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e tem suas composições estão pela Editora Lemoine de Paris e pela GSP (Guitar Solo Publications – San Francisco, CA – USA). Suas obras para violão têm sido gravadas e tocadas em concerto por grandes intérpretes americanos e europeus.



Seus últimos lançamentos são o CD CRISTAL, o CD Camerístico (independente) e o livro+CD Ritmos Brasileiros (Garbolights Produções Artísticas Ltda.), um trabalho de pesquisa dos principais ritmos brasileiros de todas as regiões do Brasil.

CD CRISTAL

Há dez anos Marco Pereira desenvolveu um projeto chamado Valsas Brasileiras que envolveu a gravação de um CD e a edição gráfica de um álbum de partituras que continha a transcrição exata dos arranjos do CD. Foi um projeto dedicado às modernas valsas brasileiras - e também seu primeiro trabalho independente. Depois de finalizado e comercializado, ele percebeu que se tratava de um projeto ‘abençoado’ pois seu alcance superou de longe suas expectativas.

Segundo Marco Pereira o álbum de partituras serviu para estimular jovens violonistas a aprofundarem seus estudos e ampliarem seus repertórios. O CD foi ouvido por um número considerável de pessoas e serviu para embalar brincadeiras de crianças em uma creche da comunidade da Rocinha (Rio de Janeiro) ou ainda criar um ambiente calmo e profundo no momento do nascimento de duas crianças. Essas últimas razões já teriam sido mais do que suficientes para justificar a realização desse projeto que o faz se sentir extremamente recompensado por isso.




Durante esses dez anos que se passaram, muitos outros projetos foram finalizados, mas houve sempre um forte desejo de prestar ainda outra homenagem, com o mesmo perfil, desta vez ao choro e ao samba, mais especificamente ao choro-canção e ao samba-choro.

Esses gêneros, que foram essenciais no desenvolvimento da música brasileira, estão fortemente ligados ao violão. Pode-se dizer que a maior parte os violonistas do Brasil já se debruçou sobre esses gêneros musicais que representam a base da nossa escola violonística.

O choro-canção é uma modalidade de choro lento e melancólico. Através dele inúmeros compositores brasileiros ligados à música popular se expressaram. O samba-choro, como o próprio nome explica, é a fusão das características do choro tradicional com o samba. Teve como pioneiro Pixinguinha e, posteriormente, fixou-se de forma definitiva no cenário musical brasileiro.

Marco Pereira decidiu não utilizar nenhum instrumento de percussão que pudesse evidenciar os aspectos rítmicos de cada gênero, deixando para o violão o encargo de explicar todas as suas nuances características. Além disso, buscou adaptar diversos temas que até então não tinham versão para violão solo.

O álbum de partituras Cristal é a transcrição fiel do material gravado no CD. Trata-se de um certo panorama do que existe no gênero, embora a seleção dos temas tenha sido tarefa árdua, pois não foram poucos temas maravilhosos a ficar de fora, forçosamente.

O critério de seleção foi baseado não apenas na qualidade específica que cada tema apresentava, mas no resultado que se poderia obter no processo de adaptação para o violão solo.

Marco Pereira considera bastante representativo o repertório escolhido para o compor o CD e o álbum de partituras. São temas de Radamés Gnattali, Cesar Camargo Mariano, Nelson Cavaquinho e Amancio Cardoso, Pixinguinha e Benedito Lacerda, Paulinho da Viola e Fernando Costa, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo, K-Ximbinho, além de três choros de sua própria autoria. (Rio de Janeiro 10 de fevereiro de 2010 - by Marco Pereira)


FONTE
BISCOITO FINO

Wikipédia

site oficial

Nenhum comentário: